Mostrando postagens com marcador comportamental. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador comportamental. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, maio 02, 2018

O coeficiente de rendimento é importante durante o estágio? Qual é o seu impacto?

Já falamos diversas vezes sobre ele aqui (Coeficiente de rendimento e estágio no Mercado Financeiro), aqui (No início da faculdade devo focar no CR ou em atividades extracurriculares), aqui (Mas e se o meu CR é baixo porque sou de universidade federal?) e aqui (Por que o CR é tão importante para o Mercado Financeiro?).

Mas, além de ser um gate keeper durante os processos seletivos, há algum impacto direto do CR nas atividades que você irá exercer como estagiário?



Nem um pouco. Como estagiário no Mercado Financeiro você terá mais responsabilidades que o estagiário mediano de outras indústrias, mas ainda assim terá de realizar atividades com baixa ou média contribuição intelectual.

Caso fossem de elevada contribuição intelectual, não teriam contratado um estagiário com quase nenhuma experiência profissional para tocar este projeto, não é mesmo?

O que a sua equipe irá esperar de você é proatividade, capacidade de analisar o todo e seus detalhes, além de sugerir formas de melhorar a rotina ou a atividade a ser exercida. Pode ser a sugestão mais boba, mas desde que diminua o tempo da rotina ou torne-a mais eficiente, será vista com bons olhos.

Ao longo do tempo você verá que as matérias vistas na faculdade podem não ter qualquer correlação com o que será visto no estágio, assim como o que é visto no estágio provavelmente não o ajudará nas provas da faculdade.

Coeficiente de rendimento é importante depois do estágio?

domingo, março 04, 2018

Acredito que esta seja a pergunta mais importante a ser feita, acompanhada pela pergunta: Você consegue demonstrar numa entrevista que possui sentimento de dono?

No Mercado Financeiro, onde se luta para ser o mais rentável, o mais rápido, o mais eficiente, o com melhor custo benefício; o sentimento de dono separa aqueles que vieram para se tornarem donos do negócio e aqueles que se juntaram à mesa apenas para participar.

Se quiser ser contratado ou receber mais rotinas e atividades que demandem responsabilidade e exposição, faça por onde, mostre seu track record e seu entusiasmo por sempre querer aprender mais.

Faça mais e reclame menos. Mesmo que a atividade seja operacional ou de pouco valor, faça-a tão bem que todos irão prestar atenção em você. O que há para ser feito tem de ser feito.

Ninguém quer ter um reclamão ou um preguiçoso em um trabalho que passa facilmente de 12 horas diárias.

Você tem sentimento de dono?

sexta-feira, fevereiro 02, 2018

Por diversas vezes escrevi que aqueles que buscam estágio de férias ou estágio em instituições financeiras devem pesquisar sobre a empresa em si e sobre os seus sócios. Hoje, irei exemplificar tal pesquisa. Anteriormente encontrei a entrevista do Rogério Xavier, sócio fundador da SPX, que foi publicada pela Genial Investimentos.

Pela fala do Xavier é possível ver quais foram os elementos que o influenciaram em seu desenvolvimento profissional, assim como quais são os valores presentes na SPX e valorizados por eles.

Seguem uns trechos que acredito que sejam relevantes:

Perguntei às pessoas qual era o melhor banco de investimentos do Brasil e me disseram que era o Garantia. [...] Eles gostaram da minha história e acharam que eu estava dentro do perfil que eles buscavam. Uma pessoa disposta a trabalhar quantas horas fossem necessárias, ambiciosa, querendo ganhar muito dinheiro e ter sempre uma postura vencedora.
Eu nunca tinha trabalhado, então para mim aquele era o normal. Toda a cultura de trabalho que eu aprendi na minha vida, de disposição, dedicação, perseverança, agressividade no que você acredita, no sonho grande mesmo, tudo veio de lá. Toda a minha formação de pensamento, trading, organização, meritocracia e partnership veio deles.

Lá para o final da entrevista há a menção à importância do esporte (como já foi explicitado nesta postagem: Qual a importância dos esportes?)

Gosto de contratar pessoas que tiveram a experiência do esporte, porque eu acho que elas aguentam bem a pressão.



Quer receber vagas de estágios de férias e outras atualizações por e-mail?

* obrigatório

Como pesquisar sobre a instituição financeira

sexta-feira, janeiro 12, 2018

Bem, já falamos sobre como conseguir uma entrevista, sobre a roupa que você deve usar, sobre a característica em falta nos estagiários atuais e sobre como se diferenciar em uma dinâmica entrevista.

Entretanto, falamos pouco sobre quais perguntas podem ser feitas em uma entrevista de vaga de estágio ou de analista do Mercado Financeiro.

Seguem algumas perguntas que surgiram em minhas entrevistas ou em entrevistas de pessoas próximas a mim:

  • Conte-me sobre a sua história de vida
  • Cite uma qualidade e um defeito
  • Por que escolheu se formar no curso X? Por que a faculdade Y?
  • Por que escolheu Mercado Financeiro?
  • Como você responde sob pressão?
  • Qual foi o seu maior desafio?
  • Qual foi o último livro que você leu? Conte-me um pouco sobre ele.
  • Qual foi a última notícia de Economia que chamou a sua atenção? Conte-me sobre ela.
  • Você teve alguma influência na família para trabalhar no Mercado Financeiro?
  • Qual é a sua relação com o dinheiro? Possui alguma meta pessoal?
  • Você investe? Desde quando e em quais ativos? (Citei sobre isso na postagem Finanças Pessoais e Mercado Financeiro)
  • Fale sobre a sua vida acadêmica.
  • O que você leu sobre a nossa empresa?
  • Por que você está se candidatando para a nossa empresa? (Veja a importância desse conceito no post: Conhecer a instituição financeira é importante)
  • Quantas máquinas de lavar existem no Brasil? (e similares)
  • Faça o valuation da companhia Z.
  • Discorra sobre os efeitos da elevação/diminuição da taxa de juros sobre o Mercado de Capitais, com foco em empresas específicas listadas na bolsa de valores.
  • Qual é a sua opinião sobre o cenário eleitoral?
    • Já ouvi uma boa história sobre essa pergunta sendo feita fora do Mercado Financeiro mas por um grupo bastante renomado de empresários em 2014. Foi uma boa gargalhada.
  • A pergunta citada no post: Fail na entrevista com o Gestor


As perguntas sobre você e a sua história pessoal são as mais difíceis de surpreender por serem bastante comuns, já as com foco em Economia podem atrapalhar aqueles que cursaram Engenharia ou outros cursos que não possuem Macroeconomia e Finanças em seu currículo.

Perguntas que Podem e Vão Ser Feitas na Entrevista

quarta-feira, dezembro 27, 2017

Acredito que tais recomendações sejam importantes tanto para o momento da entrevista, como para a dinâmica em grupo e o início de sua carreira profissional. Retirei-as do The WetFeet Insider Guide to Goldman Sachs, que é um guia feito a partir de entrevistas com indivíduos que trabalham na empresa citada, e fiz comentários com minha experiência pessoal.

Complainers need not apply. As one insider says, When you start, there aren’t a lot of tangible metrics by which you can be evaluated. You rely on perception of your work ethic.
Como explicitado no post “Dica de entrevista | Evite reclamar”, "Se você possui uma participação acionária em uma empresa e vê que o seu empregado apenas reclama e não resolve os problemas que surgem, o mesmo começa a parecer dispensável."


Wall Street is a tightly knit community where favors aren’t forgotten and friendships last a long time.
Percebi isso enquanto buscava entrar no Mercado Financeiro. As pessoas dos locais que me entrevistaram geralmente se conheciam ou conheciam pessoas em comum. Ou, ainda, repassavam informações sobre mim e o que eu havia dito na entrevista para o próximo entrevistador ou internamente. Mentir na entrevista não é nem um pouco recomendado, visto que é muito fácil pegá-lo na mentira.


Goldman is famous for taking teamwork so seriously that it frowns on people using the first-person singular in discussing workplace efforts and accomplishments, preferring that employees, from the bottom levels to the upper echelons, use the first-person plural instead. One insider says, The ‘we’ thing.
Devido a esse peso dado ao trabalho em equipe, dinâmicas em grupo possuem uma grande importância em processos seletivos de instituições financeiras. Como a jornada de trabalho em finanças é extensa, busca-se contratar pessoas que não só trabalhem bem em equipe, gerando eficiências internas, como também sejam agradáveis e companheiras.


Quer receber vagas de estágios de férias e outras atualizações por e-mail?

* obrigatório

Goldman Sachs e a Cultura do Mercado Financeiro

segunda-feira, dezembro 18, 2017

LinkedIn realmente ajuda aqueles que desejam trabalhar no Mercado Financeiro? Então, se você possui um bom currículo, uma personalidade que tenha fit com a cultura organizacional da instituição financeira e conhecimento para trabalhar na vaga pretendida, sim.

Não veja o LinkedIn ou o approach infalível para obter entrevista como um elemento suficiente para ser aceito em uma empresa deste tipo, mas como um elemento necessário.

Se você fosse o sócio de uma gestora de recursos, você iria contratar um candidato só porque ele o enviou uma mensagem pelo LinkedIn? Creio que não. E se o candidato tem uma ótima lábia e fala que é movido por desafios, mas não possui exemplos em sua vida para dar sustentação a isso? Também acredito que não iria contratá-lo. Ter sangue nos olhos e ter a faca nos dentes não são características que podem ser simuladas, não no médio-longo prazo.

Quer receber vagas de estágios de férias e outras atualizações por e-mail?

* obrigatório

LinkedIn ajuda aqueles que desejam trabalhar no Mercado Financeiro?

sábado, novembro 04, 2017

 Galera, como mentor ando acompanhando uma pessoa que deseja entrar no Mercado Financeiro e tenho visto alguns pontos que podem (e devem) ser trabalhados:

- Treine Excel e VBA ao máximo e tenha isso memorizado e praticado na hora de fazer a prova para o estágio e no estágio em si
- Tenham uma boa conversação em inglês. Hoje em dia não há desculpas para não treinar isso de maneira gratuita com a internet
- Treine suas habilidades analíticas sempre que possível. Tenha uma mente razor sharp para fazer diversas contas e estimativas rápidas sem ajuda de calculadora.

Sempre continue treinando. Não importa se a sua personalidade é similar ao de pessoas que obtiveram sucesso em assets e bancos de investimento, o lado analítico é tão importante quanto as soft skills.

Pontos a serem melhorados

sexta-feira, novembro 03, 2017

Deixando de lado o título relativamente clickbaity, há dicas bem interessantes no artigo "5 dicas da ciência para arrasar em uma entrevista de emprego" publicado pelo portal Na Prática.

Particularmente, fiz e faço uso das dicas de número 3 (simular a entrevista em casa), 4 (escrever um "roteiro" para a entrevista) e 5 (não mudar a rotina no dia da entrevista).

Poses de poder de acordo com Amy Cuddy

Também vejo valor na dica número 1, mas a uso de maneira diferente. Percebo que ao me sentar de maneira similar ao da segunda foto, mas sem esticar o braço e sem ficar com as pernas muito abertas, fico menos ansioso do que sentar de pernas juntas e braços cruzados. Ainda, busco fazer o mínimo de movimentos, pois percebi que ficar tamborilando com os dedos no tampo da mesa ou balançando a cadeira aumenta ainda mais a ansiedade.

Busque testar essas dicas na próxima rodada de entrevistas que você tiver.

Dicas para uma entrevista de emprego

segunda-feira, setembro 25, 2017

 Indo na direção do que comentei no livro Approach infalível para obter entrevistas, a capacidade de diferenciação do candidato em uma entrevista é de extrema importância.

Veja isso a partir da fala de Florian Bartunek, citando um jovem que leu mais de 100 livros relacionados a Mercado Financeiro. Com absoluta certeza isto não é algo comum, mas também não é impossível.



Se você demonstrar um ponto especial, como uma boa habilidade com números, embasada de medalhas em olimpíadas de matemática ou a partir da sua experiência desde pequeno na loja de seus pais, isto já é um ponto que o diferenciará.

Se você tem uma boa dicção e é comercial, por ter trabalho como vendedor em uma loja ou por ter feito cursos de negociação quando criança e atuado nisso, isto é outro diferencial.

Sempre tente encaixar suas experiências passadas em uma ótica que proporcione um benefício ao seu possível empregador.

Para o Mercado Financeiro há diversos elementos que podem ser usados como diferenciador, como por exemplo: ter investido desde cedo, ter pais investidores que debatiam contigo os cases de investimento, ter iniciado uma start up própria, ter iniciado um negócio próprio, ter sido escoteiro, ter feito trabalho voluntário como líder, ter feito cursos extras, ter explorado um nicho específico, ter um profundo conhecimento sobre uma commoditie específica, ser interessado em um aspecto (econometria, política, macroeconomia, etc), saber programar muito bem, entre muitos outros.


Diferenciação nas entrevistas e dinâmicas

sexta-feira, setembro 22, 2017



Quanto a dinâmicas em grupo, aqui vão algumas dicas rápidas:
  • Não tente ser o manda chuva, lembre-se que trabalho em equipe é muito importante no MF
  • Seja objetivo em seus argumentos
  • Discorra sobre os seus argumentos de forma linear
  • Mostre os prós e os contras de cada decisão ou argumento
  • Tenha pensamento crítico
  • Trabalho em grupo, sempre

Dicas rápidas sobre dinâmicas em grupo

sábado, setembro 09, 2017

 Semanas atrás li o livro "Todo dia é segunda-feira", de José Mariano Beltrame, ex-Secretário de Segurança do Rio de Janeiro.  (Link do livro: Amazon)

Além de discorrer sobre sua vida acadêmica e profissional que o levaram a atuar como Secretário de Segurança no Rio, além das suas origens que remontam a uma pequena cidadezinha no Sul, Beltrame levanta pontos importantes que chamaram a minha atenção.

É de Tolstoi a frase "Todas as famílias felizes são iguais. As infelizes o são cada uma à sua maneira", e acredito que o mesmo aconteça com aqueles que possuem paixão pelo seu trabalho.

Boa parte dos sócios que conheci, que realmente eram apaixonados pelo trabalho e pelo local onde trabalhavam, apresentavam as mesmas características.

Aquela ansiedade, aquele senso de urgência, aquela vontade de fazer acontecer, de sempre estar em movimento.

E é por isso que cito o livro do Beltrame, por nos proporcionar os trechos a seguir, que refletem muito bem uma das características buscadas nos estagiários e trainees:

Fazer parte desse time de elite exigia dedicação total, sem hora para começar nem para acabar, ligado 24 horas por dia. A gente tinha a máxima de que todo dia era segunda-feira. (José Mariano Beltrame, Todo dia é segunda-feira, loc. 764-765)

Alguns comandantes, na sexta-feira, me desejam bom fim de semana. Quem me diz isso é porque vai dar um tempo no sábado e no domingo. A capitã Pricilla nunca me desejou bom fim de semana na sexta-feira. (José Mariano Beltrame, Todo dia é segunda-feira, loc. 1323-1325)


Food for Thought | Todo dia é segunda-feira

sexta-feira, setembro 08, 2017


Vídeo bem curto em que Carlos Degas, Presidente do grupo educacional DeVry Brasil, discorre sobre o que busca nos jovens profissionais e a racionalidade por trás de suas preferências.

Essas são características que também são buscadas dentre os candidatos do Mercado Financeiro, em sua maioria. Pense nisso.

Características buscadas nos jovens profissionais

sexta-feira, agosto 25, 2017

 Processos seletivos para estágios (e estágios de férias) no Mercado Financeiro geralmente possuem uma prova com questões de matemática do GMAT.

Aqui vão algumas indicações de material de estudo:
- Aplicativo GMAT Math Flashcards do Magoosh
- Math Workout for the GMAT, 5th edition (Princeton Review) (Link do livro: Amazon)
- Canal no YouTube: GMAT Quantum


Para as etapas de dinâmica de grupo e entrevistas, recomendo a leitura dessas postagens:
- Como se manter atualizado sobre o cenário político brasileiro
- Característica pessoal em falta nos estagiários atuais
- Dica Comportamental | Mentalidade de dono

Processo seletivo | Material de preparação para o GMAT

quinta-feira, agosto 03, 2017

Leitura da semana: Cultura de Excelência, de David Cohen.

O livro conta a história da Fundação Estudar e a experiência de vida de alguns de seus bolsistas. Por consequência, discorre sobre pontos relevantes da cultura da Fundação Estudar, como "ter faca nos dentes" e "ser sangue nos olhos". (Link do livro: Amazon)



Recomendo a sua leitura para aqueles que desejam se tornar um bolsista da Fundação ou para aqueles que desejam trabalhar no Mercado Financeiro. Não é por coincidência que a cultura da Fundação tenha nascido no Garantia, banco de investimento comandado pelo trio Beto Sicupira, JP Lemann e Marcel Telles.

Meu trecho preferido do livro:
"De acordo com a filosofia que a Estudar segue, o trabalho não é um fardo a se carregar para garantir o sustento - é a única forma de realizar seu potencial. Talento sem trabalho não adianta para nada. Trabalho, contínuo e consistente, constrói o talento. E o talento, aplicado ao trabalho, leva a resultados excepcionais. "


Recomendação de leitura | Cultura de excelência

quarta-feira, junho 28, 2017

Como é a vida dos estagiários no setor financeiro?

 Recomendo a leitura deste artigo do Valor Econômico, "A dura vida dos estagiários no setor financeiro" (limitado para não assinantes), para todos aqueles que desejam trabalhar no Mercado Financeiro. Tanto para aqueles que já conhecem um pouco sobre a cultura do setor, como para aqueles que olham o setor com óculos cor de rosa.

Trecho citado do artigo (todos os direitos do trecho citado estão reservados ao Valor Econômico):

"O doutor Michael Sinclair, terapeuta e autor de 'Fear and Self-Loathing in the City: a guide to keeping sane in the Square Mile' (algo como 'medo e autodepreciação na City: um guia para continuar são na Square Mile', em inglês), diz que os próprios novatos que entram no mundo das finanças colocam enorme pressão sobre seu desempenho, em vez de apenas receber ordens dos chefes. 
'Eles têm o desejo de entrar no turbilhão. A área de banco de investimento é muito atrativa. É alta adrenalina e altos salários. Os mais jovens vão trabalhar incansavelmente para tentar impressionar'. Hephzi Pemberton concorda. 'As pessoas que vão para o mundo das finanças estão dispostas a trabalhar duro. Provavelmente eram as que viravam a noite estudando na universidade. Não eram as que ficavam sentadas tocando violão.'"

Esses pontos citados neste trecho foram discorridos brevemente em algumas postagens anteriores no Faria Lima Oasis, são elas:

Por que tantos atletas são contratados no Mercado Financeiro?
Dica Comportamental | Sangue nos olhos
Qual é o significado da expressão "faca nos dentes"?
Bancos de Investimento são iguais uns aos outros

Recomendação de Leitura | A dura vida dos estagiários no setor financeiro

sábado, junho 24, 2017

 Já vou dizendo logo de primeira: não seja materialista nem arrogante. É bem complicado para alguém interessado em ganhar a vida no Mercado Financeiro não ter um pouco dessas duas características.

Todavia, se você realmente quer observar as oportunidades de maneira racional e objetiva, sem ser influenciado negativamente pelo ego ou por sentimentos, você vai longe.

Acredito que a melhor forma de mostrar isso seja citando um livro que gosto bastante, Monkey Business. Falei sobre alguns trechos dele em uma postagem ("Por que bancos de investimento são iguais uns aos outros") e irei usá-los nesta e em outros artigos.

Vamos aos trechos:

"The banker’s greatest enemies are those people whose souls are not for sale, and those who realize that time is a nonrenewable commodity."
(John Rolfe and Peter Troob. Monkey Business. pág 14. Warner Business Books, New York. 2000.)

"Our success in investment banking would depend upon our willingness to subjugate all personal goals to the greater good." (Idem, pág 56)

"Investment banking training can be summed up pretty succinctly. It’s a huge waste of time and money but a necessary step for the investment banking machine to teach you your role as an associate and lure you into a high standard of living. Once you’ve started living with limousines and expense accounts, it’s hard to go back." (Ibidem, pág 81)

"The firm knew that extravagant tastes were the best defense that they could ever hope to have against our departure. And when it came to purely social events, the firm threw just enough corporate clambakes to keep the junior bankers from engaging in open rebellion." (Ibidem, 150)

"Investment banking had a way of attracting arrogant fuckers like us, and that was our Achilles’ heel. The big boys knew that. They knew us better than we knew ourselves. We were screwed." (Ibidem, 216)

"Greed, Fear, and Abandon. Those are the three steps. First, persuade by talking about money and success. Greed and the pursuit of money is the banker’s ultimate aphrodisiac. Stroke the ego and tell the clients what they want to hear. Act sincere. If this doesn’t work, move to the second stage of the process—fear. Scare the shit out of the clients and shake their confidence. If the banker can’t entice the client with money, then maybe they can use fear to achieve the desired result. Finally, if this doesn’t work the banker will abandon in an unusually rapid fashion. If there’s no deal, then there’s no need to continue any discussion." (Ibidem, 237)

Alguns pontos levantados por esses trechos, como o desejo e a necessidade pelo luxo, arrogância, ambição e medo, devem ser considerados. Não digo que devemos superá-los como Buda em seu caminho rumo à iluminação, mas que devemos permanecer atentos constantemente ao quanto esses pontos nos afetam em nossa vida. Não só no trabalho, também nos afetam em nossa vida pessoal e social. Se você o sucesso como algo a ser maximizado ao limite, seja abrindo uma fintech ou entrando em um banco de investimento tendo como objetivo último ser o melhor da área ou o mais rico de todos, tais pontos não podem (nem deveriam) impedi-lo. Ser racional é bom e não traz problemas.

Não seja materialista nem arrogante no Mercado Financeiro

terça-feira, junho 20, 2017

When you are a hedge fund manager, you should never care which direction the market goes. You are supposed to make money regardless of direction. You are supposed to make money no matter what happens. You can’t be beholden to the market. (James J. Cramer. Confessions of a Street Addict. pág 265. Simon & Schuster. 2002.)

Essa é uma pressão que muitos rainmakers precisam enfrentar. Não é necessário ser um gestor de um hedge fund para ter de lidar com a demanda constante por bons resultados. Você tem o colhão para suportar isso diariamente?

[Falei um pouco sobre este livro em uma postagem anterior: Recomendação de leitura | Confessions of a Street Addict]

Pressão por resultado

domingo, junho 18, 2017

Terminei de ler o livro Confessions of a Street Addict, de James J. Cramer. Pelo meu registro, comecei a lê-lo em maio. Devorei praticamente metade do livro em pouco tempo, mas perdi o ritmo ao longo dos meses. (Link do livro: Amazon)



Provavelmente devido ao fato da história perder a sua excitação a partir do momento em que o foco é alterado, passando do início de carreira do autor e de sua atuação em seu hedge fund ao seu side hustle, um site com informações sobre o mercado e que esteve envolvido em diversos problemas administrativos.

Enfim, recomendo a sua leitura até o capítulo 5, incluso. Há alguns trechos que apresentam dicas comportamentais e de proatividade bem bacanas. Ainda, se busca o relato mais pessoal, assim como um resumo sobre a sua experiência estando à frente deste fundo, recomendo a leitura do último capítulo, "Confessions of an Ex-Street Addict".

Recomendação de leitura | Confessions of a Street Addict

segunda-feira, junho 12, 2017

 Ao perguntar ao sócio de uma gestora de recursos qual é a característica pessoal ou habilidade que anda em falta dentre os estagiários atuais, o mesmo respondeu-me que falta desespero por parte dos mesmos. Falta a vontade de se tornar independente cedo, de sair de casa cedo, de pedir o máximo de ajuda aos superiores para aprender sobre as especificidades do estágio, enfim, falta de proatividade. Acredito que aquele que demonstrar esta característica em uma entrevista irá se sair muito bem, dependendo do perfil do banco de investimento/asset pretendido.

Característica pessoal em falta nos estagiários atuais

sábado, junho 10, 2017

O que significa ter "faca nos dentes"?

 "Faca nos dentes" é um termo utilizado para caracterizar um tipo especial de qualidade muito buscada dentre os candidatos a estágio e a trainee no Mercado Financeiro, mas que pode ser vago para alguns.

Pessoalmente, a definição de ter "faca nos dentes" é algo bastante similar ao termo "sangue nos olhos", explicado por mim nesta postagem: "Dica Comportamental | Sangue nos olhos". Citando a mesma:
Basicamente, "sangue nos olhos" descreve o indivíduo que dá 100% de si em uma atividade, que entra em um negócio com espírito de dono desde o início, aquele que tem a faca nos dentes e encara qualquer desafio.
Mas, nada melhor do que ver como Marcel Telles, um dos fundadores da Fundação Estudar, define este termo:
Depois de checar as competências básicas (capacidade, ética, caráter, etc.), eu me concentro em duas coisas: ver se os olhos da pessoa brilham quando fala dos próprios planos e sentir se ela tem a faca nos dentes para correr atrás do seu sonho. [...] A faca nos dentes é a resiliência – a gente tem de sentir que, quando aquela pessoa cair, vai se levantar. (Trecho do livro Cultura de Excelência, de David Cohen.)

Sendo assim, caso você tenha tal característica, não se esqueça de mostrá-la em sua entrevista por meio de exemplos concretos e de respostas adequadas às perguntas do RH.

Qual é o significado da expressão "faca nos dentes"?