Mostrando postagens com marcador CR. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador CR. Mostrar todas as postagens

terça-feira, outubro 31, 2017

Um pequeno comentário sobre a importância do coeficiente de rendimento para quem deseja trabalhar no Mercado Financeiro: ter um coeficiente de rendimento alto é necessário para você passar da primeira fase em um processo seletivo, mas não é suficiente.

Vê-se que para o candidato ter um "contato humano" (ser chamado para uma entrevista ou dinâmica em grupo), ele precisa ter um coeficiente acima do estipulado pela instituição financeira, mesmo que esse dado não seja publicamente explicitado.

Já vi instituições colocarem como necessário uma nota acima de 7.5, outras solicitando a partir de 8. Como visto em posts anteriores, esse requisito varia entre cursos e universidades, mas nunca vi abaixo de 7,5.

Entretanto, ter um CR estelar não significa que você será contratado na mesma hora. Como disse, é um elemento necessário, mas não suficiente. Há diversos outros pontos que serão avaliados em entrevistas e dinâmicas em grupo. Dê uma pesquisada neste blog para ler as publicações que fiz sobre esses assuntos.

Ainda, para aqueles que possuem um CR mediano ou baixo e que não passam da primeira fase, sempre há a possibilidade de enviar um e-mail para o RH da instituição e marcar uma conversa. Se o seu CR não é chamativo, venda o seu peixe falando sobre suas experiências extracurriculares e profissionais.

Coeficiente de rendimento e estágio no Mercado Financeiro

domingo, outubro 01, 2017

 Como ter um perfil de destaque no LinkedIn? Não basta ser uma pessoa de destaque, é preciso mostrar que você é uma pessoa de destaque. Sendo assim, há modificações que podem ser feitas para ajudá-lo quanto a isso.

Coloque todas as informações disponíveis sobre seu histórico acadêmico, como: onde fez o Ensino Médio (se for uma escola de renome), média do EM (se for alta), em qual universidade e curso estudou/está estudando, seu coeficiente de rendimento, cursos extracurriculares feitos, sua proficiência em línguas, intercâmbios feitos, experiências profissionais passadas e métricas em relação a isso, entre outros (trabalhos voluntários, atividades como escotismo ou liga de mercado financeiro, iniciação científica, pesquisas, cursos de curta duração, por exemplo).

Descreva bem as atividades, coloque métricas quando possível e deixe o seu perfil organizado. Não tenha um perfil desatualizado ou em branco e opte por incluir mais informações que o seu currículo.

Penso que o perfil do LinkedIn dá espaço para adicionar itens que não viriam a ser interessantes em um curriculum vitae, como as atividades sublinhadas acima.


Como ter um perfil de destaque no LinkedIn?

sábado, maio 13, 2017

Dilema: Focar no Coeficiente de Rendimento ou em Atividades Extracurriculares?

 Coeficiente de Rendimento, sempre o CR. O coeficiente de rendimento é o que possibilita a sua inscrição e a sua participação no processo seletivo para estágio e trainee no Mercado Financeiro.

Caso você consiga manter um CR acima de 9 enquanto realiza atividades complementares relacionadas a finanças, essa será a união de dois mundos: mostrará que você é capaz de entregar resultados mesmo com a agenda limitada e com responsabilidades extras.

Atividades relevantes a serem feitas: aprender outras línguas além de inglês, desafios de valuation, curso de Excel e VBA, cursos de finanças, entre outros.

Uma das reclamações que mais ouvi e li, por parte de sócios de bancos de investimento e gestoras, baseia-se na crença pessoal de que não aproveitaram a faculdade o suficiente (leia-se, poderiam ter obtido um coeficiente de rendimento maior) e não deveriam ter entrado em estágio tão cedo durante a faculdade.

Logo, leve tais pontos e consideração antes de tomar decisões que possam vir a trazer as mesmas consequências apontadas por eles.

No início da faculdade devo focar no CR ou em atividades extracurriculares?

sábado, abril 22, 2017

O que fazer quando o seu Coeficiente de Rendimento é baixo por ser de universidade pública?

 Como dito no post anterior ("Por que o CR é tão importante para o Mercado Financeiro?"), missão dada é missão cumprida. Um número considerável de recrutadores não estão conscientes da diferença de dificuldade entre universidades públicas​ e particulares de elite. E, se estivessem, não iriam baixar o nível para os primeiros.

Primeiramente, é difícil mensurar a grandeza da diferença de notas entre tais tipos de universidades, dado que também há um grau de variação de dificuldade de curso para curso em uma mesma faculdade. Em segundo lugar, baixar o nível seria condescendente. Haverá uma queda no número de candidatos, sim, mas este grupo será formado por pessoas mais competentes do que o grupo que poderia ter sido formado, dado o rendimento marginal decrescente da situação analisada.

Para corrigir possíveis distorções provocadas por esse método, entrevistas individuais e dinâmicas em grupo ganham importância de sobremaneira.

Lembre-se, o CR dá a oportunidade de você se candidatar a um processo seletivo. O que faz a diferença são suas hard e soft skills.

Mas e se o meu CR é baixo porque sou de universidade federal?

sábado, abril 15, 2017

Por que o Coeficiente de Rendimento é importante para trabalhar em banco de investimento ou asset?

 A importância reside no fato do Coeficiente de Rendimento (CR) ser uma prova de que você pode e consegue performar com excelência, mesmo sob condições adversas.

Estuda e trabalha ao mesmo tempo? Mora sozinho, cuida da casa e também estuda e trabalha? A matéria é chata? O professor é um escroto? Perdeu o tesão na graduação? Isso não importa, missão dada é missão cumprida.

Além, ter um bom CR em um momento em que são poucos os que possuem maturidade ou consciência dá importância das notas em seu boletim acadêmico chega a ser raro.

Entretanto​, um alto Coeficiente de Rendimento pode ser visto tanto como um pré-requisito como um diferencial. Já vi casos, por exemplo, em que há o requisito de CR igual ou maior que 8 para poder se candidatar ao estágio. Outros bancos e assets, não todos, não divulgam sua nota de corte, mas também não retornam o contato daqueles que se encontram abaixo do patamar que acreditam ser adequado.

Ou seja, para haver a chance de entrar no processo seletivo, você tem de atender a este requisito.

Para o CR ser um diferencial, deve ser altíssimo e ser de um curso difícil em uma universidade difícil. Alguém com CR 9.5 em Engenharia Elétrica na USP é um bom exemplo deste caso.

Se você quer entrar no Mercado Financeiro pela via tradicional, ou seja, por estágio ou trainee, cuide do seu CR como se a sua carreira dependesse dele - pois depende.

Por que o CR é tão importante para o Mercado Financeiro?